domingo, outubro 3

PENSAR É UM ATO, SENTIR É UM FATO

BRILHO ETERNO DE UMA MENTE SEM LEMBRANÇA



"Até cortar os próprios defeitos pode ser perigoso. Nunca se sabe qual é o defeito que sustenta nosso edifício inteiro."
Clarice Lispector

Um certo jovem, quando jovem, era apaixonado. Apaixonado pelo seu trabalho e por sua noiva. Estas duas paixões o moviam em busca da realização de um sonho que unisse seus dois propósitos de vida: o trabalho e o amor. 

Sua condição financeira não lhe permitia ir além do compromisso de noivado, que já se perdurava por cinco longos anos. Ademais, os noivos desta história não se viam com frequência, já que o jovem rapaz, em busca de sucesso e glória através do trabalho para percepção de dinheiro e estabilidade, morava em outra cidade. Os pombinhos, que viviam numa época difícil, cheia de conflitos e sem nenhum avanço tecnológico na área da informática, só podiam se comunicar via correio. Um amor assim, tão cheio de obstáculos e ainda tão sincero e forte, haveria de ser mencionado nesta história. 

Pois bem. Retornando ao jovem e promissor rapaz; este que, em torno dos 25 anos, dotado de uma inteligência única e promissora - sem mencionar sua determinação - havia terminado de cursar a faculdade de medicina e, devido sua paixão, pura e simples paixão, pelos estudos e pesquisas, ambicionava acima de qualquer outra coisa, realizar uma "grande descoberta" em sua área de atuação.

Ora, neste momento, o "homem novo - novo homem" desta história, procurava, de qualquer jeito, realizar seu sonho ambicionado para que as duas metas de sua vida, até então paralelas e distantes entre si, pudessem cruzar-se no meio do caminho, unindo as conflitantes ambições intelectuais com as pessoais.


Diante desse prospecto, F. (melhor assim do que certo jovem, jovem certo, etc.) mergulhou nos estudos acerca de uma droga, que pouco se conhecia na época, cujo nome era coca. Seu trabalho objetivava delinear as repercusões terapêuticas da droga bem como a aplicação desta para cura de fobias e vícios. 

Após aprofundar-se por completo na matéria, F. estava certo de que a cocaína seria uma excelente ferramenta de trabalho para o campo da medicina terapêutica. Convicto da "grande descoberta" que mudaria sua vida, F., diante de um amigo "viciado" em álcool, incentivou-o a tratar-se com cocaína para o alcance de uma cura. F. não poderia imaginar, naquele momento, que a "grande descoberta" levaria seu "grande amigo" ao óbito em razão de um vício infinitamente mais perigoso e mortal do que o "ingênuo álcool".

Este foi o grande fracasso de sua vida.

Você deve estar pensando que a história de F. se encerra por aqui. Depois deste grande equívoco, erro mortal, estupidez e obstinação quase cega, como F. poderia prosseguir adiante?! 

Mas, no entanto, ele prosseguiu. A maior tragédia de sua vida contribuiu para o homem em que se tornou. Sem ela, talvez, F. não seria ninguém. 

O protagonista desta história verídica, com alguns pontos controversos, é notoriamente conhecido e reconhecido no mundo inteiro. Pai da psicanálise e um dos personagens mais ilustres e brilhantes do século XX, Freud, casou-se com Martha, alcançou a fama por mérito de seus trabalhos posteriores e NUNCA apagou este pedaço trágico de sua história. Uma mancha, um defeito, um vício tão grave em sua trajetória de vida que, ao invés de pôr fim aos seus sonhos e metas, foram utilizados "a favor" de si mesmo, sem apagar a dor e a culpa que o acompanharam a vida inteira, para a continuidade de um trabalho eregido por um homem cada vez mais maduro, estruturado e consciente de suas limitações.



Clarice Lispector, quando escreveu "Até cortar os próprios defeitos pode ser perigoso. Nunca se sabe qual é o defeito que sustenta nosso edifício inteiro", não poderia ser mais sábia e objetiva.

Tantas são as coisas que gostaríamos de mudar em nós mesmos. Eu, por exemplo, tenho uma vasta lista de "defeitos quase congênitos" que adoraria "consertar". Ansiedade e paixão, por exemplo. Não falo sobre "paixão" no sentido romântico da palavra, mas da paixão de vida, de impulsos, de força vetora. Desde sempre, no trabalho, na época da escola ou faculdade, para ler um livro, para terminar um projeto...enfim, para finalizar, completar ou iniciar algo novo, sempre necessitei dessa força vetora, sem a qual, na maioria das vezes, não saio do lugar. Essa característica, apesar de ser utilizada diversas vezes a meu favor, me impede, em tantas outras, de dar prosseguimento a diversos outros segmentos necessários de minha vida. Numa conversa-desabafo com uma grande amiga, quase que um "espelho espelho meu", fada madrinha ou mais madrinha do que fada ou mais fada do que madrinha no momento, me vi encarando este "defeito". Mas daí vem o questionamento:

Esta característica tão marcante e determinante de minha personalidade e identidade, caso modificada, transformaria também quem eu sou. Não sei o que restaria de mim sem esta paixão que me move, transforma, encoraja, emociona, ama, impulsiona o meu "ser" no sentido de existir. É um defeito que estrutura meu prédio inteiro. Auto-conhecimento e adequação são as duas palavras-chave para conciliação de algo inerente a mim mesma. Não posso querer ser quem não sou, muito menos procurar algo fora de minha essência, mesmo que determinada "parte" seja imprópria ou imperfeita.  

Alguns episódios de minha vida particular me causam desgosto. Nada fora do comum. Quando aprendemos a olhar para trás com as lentes de espectadores de nós mesmos, o pensamento crítico oriundo desta lente nos abre a porta do amadurecimento. Talvez, seja este o grande mistério, a cena que causa o impacto no final. Mudar é necessário, natural e involuntário. Já, aprender, transformar, amadurecer e fazer travessias, não. Esta parte depende de nós. Domar nossos leões, aprender com os erros, remendar nosso edifício e permanecer de pé, são atitudes paralelas a mudanças externas.

Caso Freud não errasse de forma tão brutal e traumatizante, o que teria aprendido? Anular nossos erros nos levaria a cometê-los novamente, já que só adquirimos a sabedoria de que algo é errado, após não agirmos corretamente ou da melhor maneira. Alguém precisou colocar o dedo na tomada pra descobrir que dava choque. Viver é fazer, é pensar, ousar, mas acima de tudo: CONTINUAR. Uma eterna colcha de retalhos. 

A condição primeira de ser Humano é a imperfeição. A perfeição se encontra nela. O perfeito paradoxo da existência. Nada é simples quando ananlisado sob o ângulo da total consciência, da alma imoral de cada um de nós. Despir-se de tudo para depara-se com a verdade é algo cruel e cheio de defeitos. Reviver um passado, perceber o presente, imaginar o futuro. A perfeição não cabe em nenhum destes tempos verbais. A Torre de Pisa, Freud, Você, Eu, nosso País...tudo é construído através da verdade da história de cada um, de cada coisa. Do início até o fim. Censurar, apagar ou destruir uma vivência, um passado, um defeito presente anula todo conhecimento e estrutura adquiridos por ele. O erro, o defeito, são inerentes a VIDA. Só precisamos seguir e ir caminhando, mesmo que, algumas vezes, contra o vento.  Coloque a pedra no lugar e siga.

Tentar ser o que não é; apagar o que é seu; é o caminho certo para um mundo de ilusões. Um ciclo vicioso, sem fim, até que Você, olhe para si e se reconheça como um todo.

Ninguém pode querer apagar o que lhe causa dor. Não existe o brilho eterno de uma mente sem lembrança. Tudo irá se repetir.





Não tenho fórmulas, nem exemplos para dar. Só palavras que formam um pensar.

.:. Girly Stuffs .:.
    Decifra-me ou te Devoro 



"E o que o ser humano mais aspira é tornar-se ser humano"
Clarice Lispector 

"Passei a vida tentando corrigir os erros que cometi na minha ânsia de acertar"
Clarice Lispector

"Já escondi um AMOR com medo de perdê-lo, já perdi um AMOR por escondê-lo. 
Já segurei nas mãos de alguém por medo, já tive tanto medo, ao ponto de nem sentir minhas mãos. 
Já expulsei pessoas que amava de minha vida, já me arrependi por isso. 
Já passei noites chorando até pegar no sono, já fui dormir tão feliz, ao ponto de nem conseguir fechar os olhos.
Já acreditei em amores perfeitos, já descobri que eles não existem.
Já amei pessoas que me decepcionaram, já decepcionei pessoas que me amaram.
Já passei horas na frente do espelho tentando descobrir quem sou, já tive tanta certeza de mim, ao ponto de querer sumir.
Já menti e me arrependi depois, já falei a verdade e também me arrependi.
Já fingi não dar importância às pessoas que amava, para mais tarde chorar quieta em meu canto.
Já sorri chorando lágrimas de tristeza, já chorei de tanto rir.
Já acreditei em pessoas que não valiam a pena, já deixei de acreditar nas que realmente valiam.
Já tive crises de riso quando não podia.
Já quebrei pratos, copos e vasos, de raiva.
Já senti muita falta de alguém, mas nunca lhe disse.
Já gritei quando deveria calar, já calei quando deveria gritar.
Muitas vezes deixei de falar o que penso para agradar uns, outras vezes falei o que não pensava para magoar outros.
Já fingi ser o que não sou para agradar uns, já fingi ser o que não sou para desagradar outros.
Já contei piadas e mais piadas sem graça, apenas para ver um amigo feliz.
Já inventei histórias com final feliz para dar esperança a quem precisava.
Já sonhei demais, ao ponto de confundir com a realidade... Já tive medo do escuro, hoje no escuro "me acho, me agacho, fico ali".
Já cai inúmeras vezes achando que não iria me reerguer, já me reergui inúmeras vezes achando que não cairia mais.
Já liguei para quem não queria apenas para não ligar para quem realmente queria.
Já corri atrás de um carro, por ele levar embora, quem eu amava.
Já chamei pela mamãe no meio da noite fugindo de um pesadelo. Mas ela não apareceu e foi um pesadelo maior ainda.
Já chamei pessoas próximas de "amigo" e descobri que não eram... Algumas pessoas nunca precisei chamar de nada e sempre foram e serão especiais para mim.
Não me dêem fórmulas certas, porque eu não espero acertar sempre.
Não me mostre o que esperam de mim, porque vou seguir meu coração!
Não me façam ser o que não sou, não me convidem a ser igual, porque sinceramente sou diferente!
Não sei amar pela metade, não sei viver de mentiras, não sei voar com os pés no chão.
Sou sempre eu mesma, mas com certeza não serei a mesma pra SEMPRE! 
Gosto dos venenos mais lentos, das bebidas mais amargas, das drogas mais poderosas, das idéias mais insanas, dos pensamentos mais complexos, dos sentimentos mais fortes.
Tenho um apetite voraz e os delírios mais loucos. 
Você pode até me empurrar de um penhasco q eu vou dizer: 
- E daí? EU ADORO VOAR!"
Clarice Lispector





38 comentários:

Anônimo disse...

um orgulho de menina. Parabéns!

Diana Queiroz N. disse...

UM ESPAÇO VIRTUAL SENDO UTILIZADO DE FORMA INTELIGENTE, ORIGINAL E CRIATIVA. PARABÉNS AUTORA!

Manu disse...

Post sensacional e mto íntimo! Demais!

Viny disse...

perdi a fala...

Rafael Gamão disse...

Vc é cheia de surpresas!

Erika Matarazzo disse...

parabéns pela crônica, parabéns pela criatividade, parabéns pela colocação das palavras, parabéns pela personalidade. Parabéns pela essência.

vania luiza disse...

Cada vez mais surpresa com a qualidade de seus textos! Genial.

Daniel A. Rascollo disse...

Rô, tá incrível. Apesar de ter mta "coisa de mulher", acompanho seus posts para te conhecer cada vez mais. E continuo me surpreendendo. Seus textos são brilhantes.

Anônimo disse...

"Não me arrependo do que fui outrora / Porque ainda o sou."
Bonito texto. Parabéns.

Elenita Figueira disse...

excepcional!!!!

Vanessa disse...

Parabens! Adorei! =)

Le disse...

Amiga linda e querida. Estou emocionada com o que vc escreveu. Te entendo do início ao fim e esotu ogrgulhosa de vc. Siga seu caminho lindo. Vc vai brilhar mto, tem mta coisa boa pra compartilhar com conhecidos (sortudos como eu) e desconhecidos. Vc é especial, mas tem que acreditar nisso!

Carmem Gomes S. disse...

Vc escreve c doçura e maturidade ao mesmo tempo. Posts espetaculares e dignos de divulgação.

Fabiola Samaro disse...

palavras que expressam um íntimo especial. Único. Que texto bonito!

Anônimo disse...

obrigado. me sinto melhor do que sentia ha quinze min atras.

Neide Ressolo disse...

impressionante a qualidade do texto e profundidade de cada palavra

Mônica disse...

Estou emocionada!!

belinha58 disse...

impressionamte d+
bjs
@belinha58

belinha58 disse...

impressionamte d+
bjs
@belinha58

belinha58 disse...

impressionamte d+
bjs
@belinha58

Rogério Arcano disse...

Fora as palavras vc surpreende nos sentimentos escondidos em cada linha.
Autenticidade, beleza e paixão. Não perca isso.

@emersonmaciel disse...

@emersonmaciel: @Superbonita_ Obrigado pelas postagens. Todas me engrandecem.

@emersonmaciel disse...

@emersonmaciel: @Superbonita_ Obrigado pelas postagens. Todas me engrandecem.

@VivaMafalda disse...

@VivaMafalda 2:20pm via Web
@Superbonita_ Que legal o post sobre a Clarice Lispector, valeu mesmo!!!

@RelMonteiro disse...

@RelMonteiro2:39am via web
"Viver é fazer, é pensar, ousar, mas acima de tudo:CONTINUAR!" @Girly_Stuffs arrasa muito!

Anônimo disse...

vc escreve com paixão! Se este é um defeito, jamais perca-o!!! É o que te torna única!!!

Incrível!!!!!

@StephCunha disse...

@StephCunha 9:46pm via Web

adorei!

@rafaellachris 2:38am disse...

@rafaellachris 2:38am via Web



vlw pela dica....amei

Joana Quentau Rodrigues disse...

Difícil encontrar leituras como esta num universo virtual tão bitolado de porcarias sem conteúdo.
Estou surpresa e encantada com o blog e sua diversidade.
Uma mente brilhante.

Beijos,

Jorge disse...

Gosto muito quando vejo um blog tao inteligente e realmente bom, parabens autora!

@Paixaoporlivros disse...

@Paixaoporlivros 7:14pm via Web

@Girly_Stuffs Lindo!!!! Parabéns pelo blog :-) Bjs

@BboninoB disse...

@BboninoB 11:15pm via Web

@Superbonita_ Otimassssssss #dikaaaaaa =D

@DanniNel disse...

@DanniNel Nov 05, 5:31pm via Web

Valeu amei o post! Bjão

Alice J. disse...

parabéns!
adorei

FOLLOW: @_alicediary

Anônimo disse...

"Viver é fazer, é pensar, ousar, mas acima de tudo: CONTINUAR. Uma eterna colcha de retalhos." Concordo ,adorei o post ;) #Biiaaflor

Igor disse...

Muito bom, tô até sem palavras...

kennedy disse...

Na falta de palavras, faça meus os 36 comentários acima sobre o seu texto. Muito bacana. Parabéns! k.e.s.

@celio_montagna disse...

@celio_montagna Dec 05, 11:46pm via Web

Pensar é um ato, sentir é um fato, dos defeitos que estruturam nosso ser. @_Vale_a_pena

Related Posts with Thumbnails